Haddad: A crise econômica atual é responsabilidade do golpe, de Bolsonaro e da Lava Jato

Ex-ministro, que é mestre em Economia, descreve em artigo os fatores que o faz prever um “desempenho econômico pífio” do Brasil nos próximos anos

Foto: Reprodução

Em artigo publicado neste sábado (12) na Folha de S. Paulo, o ex-ministro e ex-prefeito Fernando Haddad (PT) responsabilizou o golpe de 2016, a Lava Jato e a equipe econômica de Jair Bolsonaro pela crise econômica que assola o Brasil.

Mestre em Economia, o candidato do PT à presidência nas eleições de 2018 afirma que é “patente a ausência de formuladores de política na atual equipe econômica” e faz um retrospecto da forma como governos anteriores lidaram com a questão econômica do país para elucidar quais fatores levaram o Brasil à atual situação.

“FHC gerou superávit pelo aumento da carga tributária, mas não logrou cumprir as metas de inflação. Lula procurou compensar a valorização do real, acumulando reservas cambiais. Dilma, diante da perspectiva de desaceleração econômica, enfraqueceu a base fiscal”, explica Haddad.

De acordo com o petista, em 2015 “uma tempestade perfeita promoveu o colapso da economia”. Ele cita como exemplo a agenda adotada para estimular a economia. “Fortemente influenciadas pela Fiesp, as desonerações fiscais, o Supersimples, a campanha pela redução artificial dos custos de energia etc. revelaram-se equivocadas”, pontuou o ex-prefeito, antes de relembrar o papel do PSDB após as eleições de 2014, que se recusou a aceitar a vitória de Dilma Rousseff e, conforme confirmou o ex-senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), “votou contra princípios básicos nossos, sobretudo na economia, só para ser contra o PT”.

Em seguida, Haddad explica como a operação Lava Jato contribuiu para a derrocada da economia brasileira. “A experiência internacional deveria ter servido de guia para lidar com grandes empresas dirigidas por gente corrupta ou imoral”, ressalta.

Confira a íntegra do artigo aqui.

Com informações da Revista Fórum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *